Cobogó: o mais brasileiro dos elementos

Postado em 17/02/2020

Contribuição brasileira para o universo da arquitetura, o cobogó inspira a nova comunicação da Casa Brasileira. Com formas vazadas que variam de simétricas a abstratas, o elemento voltou a ser tendência e complementa ambientes retrôs, clássicos e até contemporâneos. Isso porque pode ser feito a partir de diversos elementos, desde PVC ao vidro ou cerâmica.

As funções do cobogó podem variar conforme o ambiente em que é utilizado, mas tem seu uso aliado a finalidade de proporcionar iluminação e ventilação entre os espaços sem perder a privacidade. Desde a cozinha, até o quarto de dormir, o item inspira designs e inova na decoração de interiores. Separamos três usos do cobogó para você arrasar na estética do seu lar.

Divisão e privacidade:

O cobogó pode ser utilizado no momento de dividir ambientes, como o hall de entrada da sala de estar, por exemplo. Neste caso podem ser utilizados elementos mais vazados, permitindo a visão entre um espaço e outro, ou mesmo materiais como tijolos de vidro, que permitem a visão mantendo a privacidade do ambiente.

Iluminação e ventilação natural:

Quando a metragem do ambiente é pequena e é necessário utilizar divisões, como o caso da lavanderia e cozinha, o cobogó é uma boa pedida. O elemento vazado permite que a luz acesse os espaços, proporcionando uma sensação de ampliação e conexão entre ambientes. O cobogó ainda permite uma boa ventilação natural, ainda mais quando as janelas não estão presentes em todos os espaços.

Decoração:

O cobogó pode, ainda, configurar-se como um item decorativo, abusando das formas abstratas e de materiais diversos, como metal, madeira e, porque não, sisal e tecido. O importante é inovar na decoração de uma maneira funcional e prática, trazendo estilo e personalidade aos ambientes.

História:

O cobogó recebeu este nome em homenagem a seus criadores, dois comerciantes e um engenheiro brasileiros: Amadeu Oliveira COimbra, Ernst August BOeckmann e Antônio de GÓis. Presente na arquitetura dos anos 30, 40 e 50, o elemento pode ser visto em fachadas de prédios históricos e governamentais, como a Biblioteca Nacional, em Brasília. Uma expressão de sua época, o cobogó foi muito utilizado por arquitetos como Oscar Niemeyer e hoje retorna aos lares brasileiros como sinônimo de personalidade e estilo.

No momento de criar o seu ambiente, abuse da criatividade para deixar o lar com sua personalidade, mas com um ar brasileiro na decoração. Acompanhe as novidades da Casa Brasileira em nosso perfil do instagram.